segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O 1º orkontro Galcostiano e o clímax

Fiquei muito feliz com o convite da Clê de ser colaborar do blog e foi impossível recusá-lo!
Ah gente, minha admiração pela cantora Gal Costa foi crescendo gradativamente... Fui conhecendo cada cd, o porque dela cantar determinadas músicas em determinados momentos, a capacidade que ela teve que quebrar alguns paradigmas da época e sua grande e notável singularidade vocal. Eu me apaixonava cada vez mais por sua voz e sua carreira, mas ainda que eu escutasse e ouvisse tanto os seus projetos, algo faltava para que a paixão chegasse em altas escalas. Até que um dia tive a oportunidade de estar em um show dela.
Foi no dia 16 de julho de 2010 'num céu de uma cidade do interior' de Pernambuco, que aquela mulher descabelada, com um casaco da Armani, esbanjando vivacidade pra toda praça Guadalaraja, me levou ao clímax cantando uma das mais lindas músicas de Chico de Buarque: Samba do grande amor. Essa música, antes deste momento, me levava a um certo estado de mágoa que só um pessoa piegas poderia compreender. E naquele momento que estávamos, eu e Gal, exigindo respeito por não ser mais um sonhador é que pude perceber o grande domínio que a musica exerce em nossa vida e como ela nos aproxima de pessoas tão legais e interessantes como as quais eu conheci no 1º Orkontro Galcostiano de Pernambuco. A ideia do orkontro foi proposta por mim na comunidade da Gal no Orkut, no tópico eu pude combinar com todos os meninos que comentavam lá o local que a nós iríamos nos conhecer e que isso seria antes do show dela começar... mas o show ja tava pra começar e eu só havia encontrado metade dos meninos. Então seguimos e só depois de um tempo eu localizei o resto do lado oposto do lugar que estávamos. E nesse momento nenhum passante dalí poderá esquecer do louco de camisa quadriculada que gritava comicamente para o outro lado da rua: HEEEEEEY, MEU NOME É GAAAAAL! kkkkk
E com o pessoal todo reunido fomos para frente do palco e logo depois do show pudemos nos conhecer melhor e dividir nossos sorrisos e bebidas. Foi uma noite inesquecível e marcante... não por eu ter estado tão radiante, mas por eu ter estado num show da Gal Costa. E este era um dos meus maiores sonhos, que pude realizar em boa companhia e em uma boa ocasião.
Espero que cês tenham gostado da minha abordagem e espero ser util e receptivo com todos que venham aqui.
Abraços fatais.

3 comentários:

Sr. Garcia disse...

Que massa o Leandro aqui no Fatal! Tenho certeza q sua contribuição junto com a Cleicia vai ser fenomenal!

Tb estava no show de Garanhuns e admito q depois dele fiquei fissurado na Gal.
Não só pela magia do show, do festival, mas pq ele trouxe uma energia tão legal q acabou me dando coragem para 'reconqistar' muitas coisas legais na minha vida.

Assim, impossível não associar a Gal nesse momento tão legal de retomada da carreira, com momentos tão singulares para nós, seus fãs.

Pena ter decidido ir ao show tão de última hora q acabei nem me ligando desse encontrão. mas haverão outras oportunidades.

Depois dessa apresentação linda, só consigo lembrar de uma coisa: "Gal, vc nos dá sorte" rsrsrs

Cleicia disse...

Leandro, eu que fico feliz com sua presença no 'Fatal'. Já chegou arrasando na sua primeira postagem, parabéns!

Que maravilha ler sobre como Gal entrou definitivamente na sua vida, compartilhamos do mesmo encantamento.

E o Orkontro?! Ah, que delícia!! Reunir pessoas que admirem o talento de Gal, momentos inesquecíveis e registrados aqui. Muito obrigada por compartilhá-los conosco.

Um beijo grande,
Clê.

Cleicia disse...

Oi Bruno, que legal te ler nos comentários do 'Fatal'. Soube que seu dia hoje foi regado ao som de Gal. Eita, Twitter bom! =)

Adorei ler mais um pouco sobre esse show. Outro olhar pro belo canto Galcostiano. Já havia lido uma postagem linda sua, com vídeos e fotos sobre esse show em Garanhus, como sempre de primeira.

Está certíssimo: "Gal, vc nos dá sorte" rsrsrs (2)

Um beijo,
Clê.