quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

1978 - Água Viva (álbum)

Água Viva
Universal / 1978

Lado A

1 Olhos verdes (Vicente Paiva)
2 Folhetim (Chico Buarque)
3 De onde vem o baião (Gilberto Gil)
4 O bem do mar (Dorival Caymmi)
5 Mãe (Caetano Veloso)
6 Vida de artista (Sueli Costa - Abel Silva)
     
Lado B

1 Paula e Bebeto (Mílton Nascimento - Caetano Veloso)
2 A mulher (Caetano Veloso)
3 Pois é (Tom Jobim - Chico Buarque)
4 Qual é, baiana? (Moacyr Albuquerque - Caetano Veloso)
5 Cadê (Mílton Nascimento - Fernando Brant)
6 O gosto do amor (Gonzaguinha)
com Gonzaguinha

LETRAS:

Olhos verdes
(Vicente Paiva)


Vem de uma remota batucada
Uma cadência bem marcada
Que uma baiana tem no andar
E nos seus requebros e maneiras
Na graça toda das palmeiras
Esguias, altaneiras
A balançar
São da cor do mar, da cor da mata
Os olhos verdes da mulata
São cismadores e fatais, fatais
E no beijo ardente, perfumado
Conserva o cravo do pecado
De saborosos cambucás.


Folhetim
(Chico Buarque)


Se acaso me quiseres
Sou dessas mulheres que só dizem sim
Por uma coisa à toa
Uma noitada boa
Um cinema, um botequim
E se tiveres renda
Aceito uma prenda
Qualquer coisa assim
Como uma pedra falsa
Um sonho de valsa
Ou um corte de cetim
E eu te farei as vontades
Direi meias verdades
Sempre à meia luz
E te farei, vaidoso, supor
Que és o maior e que me possuis
Mas na manhã seguinte
Não conta até vinte, te afasta de mim
Pois já não vales nada
És página virada
Descartada do meu folhetim.


De onde vem o baião
(Gilberto Gil)


Debaixo do barro do chão da pista onde se dança
Suspira uma assustança
Sustentada por um sopro divino
Que sobe pelos pés da gente e de repente se lança
Pela sanfona afora até o coração do menino
Debaixo do barro do chão da pista onde se dança
É como se Deus irradiasse uma forte energia
Que sobe pelo chão
E se transforma em ondas de baião, xaxado e xote
Que balança a trança do cabelo da menina
E quanta alegria!

De onde é que vem o baião?
Vem debaixo do barro do chão
De onde é que vem o xote e o xaxado?
Vêm debaixo do barro do chão
De onde é que vem a esperança, assustança
Espalhando o verde dos teus olhos pela plantação?
Ô ô
Vêm debaixo do barro do chão

De onde é que vem o baião?
Vem debaixo do barro do chão
De onde é que vem o baião?
Vem debaixo do barro do chão
De onde é que vem o xote e o xaxado?
Vêm debaixo do barro do chão
De onde é que vem o lundu?
Vêm debaixo do barro do chão
De onde é que vem o baião?
Vem debaixo do barro do chão
E o maracatu, menina?
Vem debaixo do barro do chão
De onde é que vem o samba?
Vem debaixo do barro do chão
O afoxé?
Vem debaixo do barro do chão
De onde é que vem o baião?...


O bem do mar
(Dorival Caymmi)


O pescador tem dois amor
Um bem na terra, um bem no mar
O pescador tem dois amor
Um bem na terra, um bem no mar

O bem de terra é aquela que fica
Na beira da praia quando a gente sai
O bem de terra é aquela que chora
Mas faz que não chora quando a gente sai
O bem do mar é o mar, é o mar
Que carrega com a gente
Pra gente pescar
O bem do mar é o mar, é o mar
Que carrega com a gente
Pra gente pescar

O pescador tem dois amor
Um bem na terra, um bem no mar.


Mãe
(Caetano Veloso)


Palavras, calas, nada fiz
Estou tão infeliz
Falasses, desses, visses, não
Imensa solidão
Eu sou um rei que não tem fim
E brilhas dentro aqui
Guitarras, salas, vento, chão
Que dor no coração

Cidades, mares, povo, rio
Ninguém me tem amor
Cigarras, camas, colos, ninhos
Um pouco de calor
Eu sou um homem tão sozinho
Mas brilhas no que sou
E o meu caminho e o teu caminho
É um nem vais nem vou

Meninos, ondas, becos, mãe
E, só por que não estás
És para mim e nada mais
Na boca das manhãs
Sou triste, quase um bicho triste
E brilhas mesmo assim
Eu canto, grito, corro, rio
E nunca chego a ti.


Vida de artista
(Sueli Costa – Abel Silva)


O que é uma vida de artista
No mercado comum da vida humana
Um projeto de sonho inocente
Eu talvez não te veja essa semana

Pescador quando tece sua rede
Jogador quando joga sua sorte
Cada um que conhece sua sede
É artista da vida ou da morte

Quero ver se a menina dos seus olhos
Aprendeu os detalhes dessa dança
Quero ver se o riso em tua boca
Inda lembra de leve uma criança

O que é uma vida de artista
No mercado comum da vida humana
Um projeto de sonho inocente
Não se esqueça de mim esta semana.


Paula e Bebeto
(Caetano Veloso – Milton Nascimento)


É vida, vida, que amor brincadeira, à vera
Eles se amaram de qualquer maneira, à vera
Qualquer maneira de amor vale a pena
Qualquer maneira de amor vale amar

Pena, que pena, que coisa bonita, diga
Qual a palavra que nunca foi dita, diga
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor vale amar
Qualquer maneira de amor vale a pena
Qualquer maneira de amor valerá

Eles partiram por outros assuntos, muitos
Mas no meu canto estarão sempre juntos, muito
Qualquer maneira que eu cante esse canto
Qualquer maneira me vale cantar

Eles se amam de qualquer maneira, à vera
Eles se amam é pra vida inteira, à vera
Qualquer maneira de amor vale o canto
Qualquer maneira me vale cantar
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor valerá

Pena, que pena, que coisa bonita, diga
Qual a palavra que nunca foi dita, diga
Qualquer maneira de amor vale o canto
Qualquer maneira me vale cantar
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor valerá.


A mulher
(Caetano Veloso)


Lá vai ela
Lá vai a mulher subindo
A ponta do pé tocando ainda o chão
Já na imensidão
É lindo

Ela em plena mulher
Brilhando no poço de tempo que abriu-se
Ao rés de seu ser de mulher
Que se abriu
Sem ter que morrer
Todo homem viu.


Pois é
(Tom Jobim – Chico Buarque)


Pois é
Fica o dito e o redito por não dito
E é difícil dizer que ainda é bonito
Cantar o que me restou de ti

Daí
Nosso mais-que-perfeito está desfeito
E o que me parecia tão direito
Caiu desse jeito sem perdão

Então
Disfarçar minha dor já não consigo
Dizer que nós somos bons amigos
É muita mentira para mim

Enfim
Hoje na solidão ainda custo
A entender como o amor foi tão injusto
Pra quem só lhe foi dedicação

Pois é, e então...


Qual é baiana?
(Caetano Veloso – Moacyr Albuquerque)


Essa menina é só de brincadeira
Só dá bandeira, só dá bandeira
Seja na Amaralina ou na Ribeira
Ela só dá bandeira, ela só dá bandeira
Essa menina é só de brincadeira
Só dá bandeira, só dá bandeira
Seja na Amaralina ou na Ribeira
Ela só dá bandeira, ela só dá bandeira

No domingo no Porto da Barra pesada
Ela sempre agrada ao gosto e ao olhar
No domingo no Porto da Barra limpa
Todo mundo brinca entre o ela e o mar
Domingo no Porto da Barra
Todo mundo agarra
Mas não pode amar
Domingo no Porto da Barra
Todo mundo agarra
Mas não pode amar.


Cadê
(Milton Nascimento – Fernando Brant)


Meu príncipe encantado
Meu príncipe cansado
Cadê tuas botas de sete léguas?
E a Tilin de Peter Pan?
E tua esperança Branca de Neve?
Cadê quem levou?
Quem levou?

Meu príncipe esperado
Meu príncipe suado
Que é do beijo da Bela Adormecida
E a espada de condão?
E o país maravilhoso de Alice?
Cadê quem levou?
Quem levou?

Meu príncipe assustado
Meu príncipe queimado
Corta a noite escura dessa floresta
Mata o fogo do dragão
Traz da lenda os jogos de nossa festa
Pra eu poder brincar
E sorrir.


O gosto do amor
(Gonzaguinha)
participação especial Gonzaguinha


Curiosa pra danar
Fui chegando no forró
Só vi gente empareada
Parecendo até um nó
Todo mundo coladinho
No escuro do salão
No picado miudinho
Sem querer sair mais não
Das meninas ai e ui
Dos rapazes ui e ai
E das veia diga Deus
Porque que eu já não posso mais

Xote, rock, foxtrote
Um beijinho no cangote
Tome xote, muito xote
Tô querendo é provar
Mãe falou pra eu ter cuidado
Pai falou é tentação
Mãe falou não vá na dança
Pai falou é perdição
Mãe falou isso é pecado
Pai falou faç’isso não
Mãe falou ruim pra diabo
Pai falou até que é bão
Mãe gritou isso vicia e esse vício só traz dor
Pai falou de dor se chega ao céu, é o gosto do amor

Ai, mãe, que vontade de gritar
Ai, mãe, que vontade de dançar
Agarradinha nesse nego eu vou me embora
Ainda to na dor e to querendo me acabar
Imagina quando eu chegar no céu
Aí mesmo é que eu vou gostar.

FICHA TÉCNICA:

Direção de produção: Perinho Albuquerque
Assistente de produção: Lenia Grillo
Técnicos de gravação: Ary Carvalhaes e Paulinho Chocolate
Mixagem: Luigi Hoffer
Montagem: Barroso
Auxiliares de estúdio: Julinho e Vítor
Criação de layout: Aldo Luiz
Arte final: Arthur Fróes
Fotos: Marisa Alvares Lima
Maquiagem: Guilherme Pereira

Músicos participantes:

"Olhos Verdes"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Enéas Costa
Guitarra - Perinho Albuquerque
Percussão - Doutor, Geraldo, Luna, Ney Martins e Nilton Delfino Marçal
Piano - Tomás Improta

"Folhetim"
Arranjo: Wagner Tiso
Baixo Elétrico - Luizão Maia
Guitarra - Perinho Albuquerque
Piano - Wagner Tiso
Saxofone Alto - Jorginho da Flauta

"De Onde Vem O Baião?"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Acordeon - Sivuca
Baixo Elétrico - Moacyr Albuquerque
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Santana
Percussão - Bira da Silva e Charles
Piano - Antônio Perna Fróes

"O Bem Do Mar"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Harpa - Wanda Eichbauer
Piano - Tomás Improta

"Mãe"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Baixo Elétrico - Moacyr Albuquerque
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Santana
Percussão - Bira da Silva
Piano - Antônio Perna Fróes

"Vida De Artista"
Arranjo: Wagner Tiso
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Toninho Horta
Percussão - Bira da Silva
Piano - Wagner Tiso

"Paula E Bebeto"
Arranjo: Wagner Tiso
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Percussão - Bira da Silva
Piano - Wagner Tiso

"A Mulher"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Albuquerque
Percussão - Bira da Silva
Piano - Tomás Improta

"Pois é"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Harpa - Wanda Eichbauer
Piano - Tomás Improta

"Qual É, Baiana?"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Albuquerque
Percussão - Bira da Silva
Piano - Tomás Improta

"Cadê?"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Albuquerque
Percussão - Bira da Silva
Piano - Tomás Improta
Sintetizadores - Marcos Resende

"O Gosto Do Amor"
Arranjo: Perinho Albuquerque
Participação especial: Luiz Gonzaga Júnior (Voz)
Acordeon - Sivuca
Baixo Elétrico - Jamil Joanes
Bateria - Paulinho Braga
Guitarra - Perinho Albuquerque
Percussão - Bira da Silva
Piano - Tomás Improta

PS: Discografia disponibilizada por Doug Carvalho - Site Verdadeira Baiana (VB)


Capa


Contracapa


Encarte


 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: